Como contratar Colaboradores?

Olá, hoje eu trago um assunto que assola a maioria dos produtores de conteúdo que é, quando contratar colaboladores? Continue lendo que já já vou te explicar, mas se quiser só ouvir pode acessar o podcast!

Para começar gostaria de contar de quando eu montei a minha primeira equipe, juntei alguns amigos e criei um site de games, nessa época já não jogava tanto quanto queria, mas tinha amigos que jogavam todos os dias e então eu pensei. Poxa acho que vai dar certo todo mundo joga vários jogos no mês da pra fazer vários reviews, vamos se tornar o maior portal de games do Brasil! Ai começou as brigas aquele cara que eu achava que escrevia muito bem fazia artigos de d2as frases, fui deixando, deixando até que o site morreu.

Nesse podcast vou tratar dos assuntos abaixo:

O que você quer gastar?

Consigo colaboradores gratuitamente?

Aonde quero chegar?

Qual a sua identidade?

Cuidados

O que você quer gastar?

O primeiro ponto que você tem que pensar, você quer gastar tempo ou dinheiro? Isso é importante por que não adianta abraçar o mundo e no final ver que não da conta ou ainda gastar muito dinheiro em um mês para uma equipe sabendo que no próximo mês você não tera nada não?

O importante é entender sua realidade e sua situação financeira, as vezes é possível ter alguém para te ajudar de forma gratuita? Eu posso gastar R$500,00 por mês em uma equipe ou primeiro vou tentar fazer tudo por conta?

O produtor ninja está aqui para te ajudar a começar do zero sem colaboradores, eu quero te dar um conhecimento do básico para criar o seu projeto, mas você vai ter tempo para se dedicar a todos os setores? Esse é  um ponto a pensar.

Por outro lado você não tem tempo para fazer uma determinada função como editar um vídeo por exemplo, você consegue se planejar para pagar um valor X de reais para um editor por mês e focar no conteúdo? O ideal nesse momento é se conhecer para saber como planejar o seu projeto.

Consigo colaboradores gratuitamente?

É possível conseguir colaboradores gratuitamente? Sim! Mas, você deve pensar nos 3 pontos abaixo:

Consigo alguém que está começando também?

Um exemplo que tenho no produtor ninja é chamar alguém que está começando uma determinada atividade e oferecer a ela para editar um período até ela conseguir um certo grau de maestria e o que esse tipo de colaborador ganha? Ele consegue te usar de cobaia e posteriormente se tornar um bom editor e começar a cobrar esse serviço. Se você estiver disposto a sacrificar um pouco de qualidade no começo é uma boa pedida, além disso, caso esse colaborador vai evoluindo você pode pagar pra ele. Logo, você constroem uma boa relação que pode ser levada até o resto da vida … ou até o fim do projeto.

Consigo alguém que quer crescer com o meu nome?

Outro exemplo é no caso de você já ser uma pessoa reconhecida na sua área, você pode conseguir um colaborador que faça um trabalho voluntário simplesmente por ser você. O que ele ganha com isso? Se ele for um bom programador WordPress, ele pode conseguir outros clientes através de você e montar o seu portifólio. Vale lembrar que se você estiver faturando no seu projeto, comece a remunerar esse tipo de colaborador, pois assim que ele conseguir o objetivo dele de conseguir mais clientes, ele vai te deixar se você não recompensar o seu trabalho.

Consigo alguém para ser meu sócio?

Uma frase que eu ouvi do Murilo Gun reflete muito esse ponto, “Se você quer ir rápido vá sozinho, quer ir longe vá acompanhado”. Aqui é o ponto de pensar em dividir as obrigações do projeto em troca de uma sociedade. Aqui você quer firmar uma parceria com um amigo ou alguém da sua rede de contatos e conforme o processo for crescendo e gerando renda, vocês vão dividindo a renda. Aqui é importante pensar que os dois casos anteriores valem, pois seu colaborador também pode se tornar seu sócio. A vantagem é não desembolsar no inicio, mas o ponto ruim é que sócio é igual casamento, se precisar romper pode ser uma baita dor de cabeça. Então é sempre bom se planejar direitinho e avaliar com cuidado essa possibilidade.

Fixar a parceria com um projeto

Aqui eu vejo mais promissor quando é um projeto de blog para editorial, mas serve também para outros tipos de projeto. Isso consiste em garimpar um projeto web de alguém e oferecer uma parceria onde ele vem trabalhar com você.

Um exemplo que gosto de dar é o caso de você buscar um blog no wordpress.com e ofercer a ele a migração para o seu site, ai vocês dividem uma infraestrutura mais parruda, a audiência e até o rendimento de publicidade por exemplo. Vário blogs fazem isso e eu acho uma boa relação ganha-ganha.

Aonde quero chegar?

Aqui um ponto muito importante, se você pretende fazer um projeto como hobbie, não vale a pena pagar um colaborador, a exceção é o caso de você ter dinheiro para gastar com isso. Mas, um ponto que você sempre tem que levar em consideração é pensar a longo prazo. Isso é importante por que caso o seu projeto seja um hobbie se ele crescer você já tem em mente o que vai fazer, você pode transforma-lo em um negócio ou apenas manter como um hobbie.

Agora se assim como eu você já pensa em transformar o seu projeto em um produto, ou ainda, você tem uma empresa e esse projeto na internet é pra divulga-lo. É essencial planejar-se para o crescimento, ou seja, talvez não seja necessário contratar ninguém no começo, mas conforme você atinge uma meta estipulada, você ja se planeja para realizar contratações.

Qual a sua identidade?

Um ponto importante aqui é, sou bom em edição de vídeos, vou tercerizar? A resposta é depende!

Você pode terceirizar tudo mas, se você construiu uma identidade própria, o seu colaborador pode não saber como emprega-la, ai o importante é não joga-lo diretamente no trabalho. Crie trabalhos secundários e vá moldando ele. Quando ele chegar a um nível de excelência que você aprove você passa o projeto principal. É importante lembrar que mesmo que esse projeto secundário não vá ao ar é bom você já definir se ele vai ou não ser remunerado, isso evita problemas.

Outro ponto que você tem que levar em consideração é o item anterior, onde você quer chegar? Se você quer ter um grande portal de noticias por exemplo, inevitavelmente você vai ter que terceirizar todo o operacional, mas, se você quer manter um projeto mais modesto, mesmo que seja remunerado, não abrindo mão do seu toque pessoal ai eu aconselho a não terceirizar.

Cuidados

Vou falar de algum cuidados quando está trabalhando com outras pessoas ou tem sócios:

Tenha um contrato de entrada e saída

Aqui vale tanto para um colaborador quanto para um sócio, defina um contrato de critérios para ele se manter no seu projeto e defina as condições que ele sairá.Pois, um sócio por exemplo, ele pode não fazer nada durante todo o seu projeto e ainda cobrar de você quando gerar um resultado, muitas vezes se ele for um amigo de longa data, você acaba cedendo para não perder a amizade, ou não sede e perde aquela amizade de 25 anos. Ou ainda você tem um colaborador que trabalha voluntariamente para você, quando começam as cobranças no trabalho dele, ele acaba ficando irritado e espalhando para os 4 ventos que você é um ditador que escraviza quem quer lhe ajudar.

Para evitar esse tipo de problema, crie um contrato, mesmo que não seja feito por um advogado colocando todos os papeis e responsabilidades de todos os envolvidos, além disso coloque as condições onde aquele sócio ou colaborador deixam o projeto, além de tudo cobre uma assinatura. Assim, por mais que aja atrito sobre o que vai ganhar ou a responsabilidade de cada um, você ja tem um norte para resolver a situação. Talvez ai você não perca o seu amigo!

Defina o papel do colaborador

Como disse no ponto anterior, sempre defina o papel do colaborador e sócio, qual é a responsabilidade dele? Ele tem que pagar X reais por mês? Ou ele tem que fazer X artigos de 500 caracteres por mês? Isso ajuda você e a quem está no seu projeto a saber o que ele tem que fazer.

Além disso esse cuidado ajuda a definir as atividades que serão realizadas por esse colaborador dependente da forma de contratação, ou seja, ele pode ser um socio, um colaborador voluntário, pago por demanda ou mensalmente, ele sabe o que tem que fazer, caso ele não faça, sabe a medida que pode ser tomada.

Você é responsável pelo seu projeto

Acho que é o ponto central desse assunto, mesmo estando no final, é algo que eu sempre vou lhe dizer, VOCÊ É O RESPONSÁVEL PELO SEU PROJETO. Não adianta culpar o colaborador que não faz o que você fala, ou o sócio ruim, o projeto é seu, quem tem que responder pela sua qualidade é você. Então nada mais justo que você acompanhar o que cada colaborador está fazendo, não adianta você sentar no sofá e ficar assistindo aquela série do netflix e esperar que todos vão fazer exatamente o que você quer na hora que você quer.

Seja num layout de página, uma edição de podcast ou um artigo escrito, você tem que ser o maior crítico. Sempre olhando tudo que é feito e sugerindo melhorias, além de melhorar o seu projeto você ajuda o seu colaborador a melhorar e acaba motivando ele também.

Sobre

Contate o autor através do perfil do about.me

Facebook

Twitter

Contrate-me para uma consultoria